• Rafael Pereira Iazzetti

Efeito Sanfona

Você conhece alguém ou até mesmo já passou por isso? O famoso “efeito-sanfona” ou como os médicos especialistas chamam ‘Ciclicidade do peso” é quando a pessoa perde peso e reganha na mesma proporção ou até mais.

Por exemplo uma pessoa está acima do peso , digamos uns 80kg com uma altura de 1,60m (ou 160cm) esta com um Indice de Massa Corporea (IMC) em 31,25Kg/m2 ou seja com Obesidade Grau I, faz uma dieta e perde em 3 meses cerca de 15kg (o que é um sonho!). Após este tempo ela esta com 65kg e o mesmo IMC foi para 25,39Kg/m2 , ou seja, sobrepeso. Imagine que mais a frente ela ganhe cerca de 12kg e perca outros 6kg e assim por diante. Entendeu? Esse é o efeito sanfona ou ciclicidade. Mas por que ele existe e como funciona?

Primeiro temos que falar sobre a nossa evolução, sim a evolução do nossa espécie, fomos projetados para armazenar energia mais sob a forma de gordura do que de carboidratos ou proteínas pois, durante períodos de falta de alimento precisávamos sobreviver, mas, eis que com o passar do tempo e o aparecimento de tecnologias passamos a ser menos ativos e depender desse mecanismo de sobrevivência que condizia de períodos de abundancia e escassez. Com isso houveram alterações genéticas impostas pelo meio ambiente que foram passadas de geração em geração sendo assim observamos que existem pessoas que são mais resistentes ao ganho de peso do que outras.

Outro fato interessante é que os alimentos se tornaram mais atrativos e saborosos ( o fast food não nos deixa mentir) e nosso cérebro possui um mecanismo que faz com que comamos mais e mais alimentos saborosos e visualmente atrativos. Vamos somar: alteração nos genes + meio ambiente + diminuição da atividade energética diária + aumento na ingestão de alimentos = aumento no peso. Mas somente no peso?

Sabemos por estudos científicos que quando gastamos menos do que ingerimos há o que chamamos de balanço energético positivo e isso leva ao acumulo de gorduras pelas células de gordura e também ao aumento no numero de células de gordura no nosso organismo. Ora, então é simples! Comer menos e gastar mais faz com que utilizemos a gordura como fonte de energia e assim emagrecemos. Pois na pratica não é como acontece.

Lembram quando disse que sobre a alguns serem mais resistentes ao ganho? Então alguns também são mais resistentes a perda e além disso o organismo trabalha com o que os cientistas chamam de ‘Ponto de equilíbrio”, trocando em miúdos é justamente o ponto onde o nosso corpo entende como ideal para a sobrevivência. Por isso algumas pessoas após perder bastante peso acabam recuperando. Existem diversos mecanismos da fisiologia do nosso corpo que trabalham para isso e muitos deles são extremamente complexos. Talvez uma pergunta agora apareça para vocês nesse momento, o que fazer então?

Bom, em primeiro lugar sabemos que o balanço energético negativo ( ou seja comer menos e gastar mais) tem papel importantíssimo nisso; segundo , a manutenção do peso é a chave para equilibrarmos o efeito sanfona e isso fazemos quando associamos atividade física ao tratamento o que leva ao terceiro apontamento; quando perdemos peso nosso gasto energético também diminui isso porque ele é proporcional a ele e outros fatores como idade, sexo e estatura. Talvez ai seja a chave para o ponto do equilíbrio, enganar nosso organismo fazendo acreditar que temos o mesmo gasto que antes, como ? Atividade física regular!

Entendendo que a Obesidade é uma doença crônica que não tem cura e sim controle conseguiremos no percurso do tratamento ajusta-lo e otimiza-lo afim de evitar esses efeitos cíclicos que são muito temidos e levam a desmotivação e abandono no tratamento. Contem conosco para orienta-los e ajuda-los nessa nossa missão! Um grande abraço e até a próxima!

Artigo desenvolvido por: Rafael Pereira Iazzetti.